Terapia Por Ondas de Choque

Compartilhe nas suas redes sociais:

A terapia de onda de choque extracorpórea (TOCE) tem sido recentemente estudada e apresentando evidências importantes como uma terapia alternativa não invasiva que induz a linfangiogênese terapêutica, o que tem despertado atenção para o seu uso no tratamento do linfedema. O linfedema secundário ao tratamento do câncer é um desafio na manutenção da saúde física e a TOCE pode ser uma nova alternativa de tratamento.

Além disso, há relatos da TOCE na fibrose e na melhoria da elasticidade da pele e bem-estar da pele. Dentre as vantagens da terapia de ondas de choque se destacam a baixa incidência de complicações e por ser uma técnica não invasiva. Muitos questionamentos existem e precisam de esclarecimentos.

 

Patricia Lima Ventura
– Fisioterapeuta (UESPI )
– Doutoranda em Ginecologia (Unifesp-SP)
– Mestra em bioengenharia (Univap-SP)
– Especializada em saúde da mulher (Estacio FIC-CE)
– Professora de graduação em Fisioterapia no UNIFSA
– Professora de pós graduação em Fisioterapia em Saúde da Mulher e dermatofuncional da Lato Sensu, Uninovafapi e Inspirar
– Coordenadora da Pós de Fisioterapia em oncologia do UNIFSA
– Preceptora da especialização de Fisioterapia em Ginecologia da UNIFESP-SP
– Membro fundadora da ABFO
– Coordenadora da câmara técnica de fisioterapia em oncologia CREFITO 14
– Experiência em consultório.

Terapia Por Ondas de Choque