Tratamento fisioterapêutico no câncer de próstata

Compartilhe nas suas redes sociais:

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). As modalidades de tratamento incluem: cirurgia (prostatectomia radical), hormonioterapia, radioterapia ou vigilância ativa e estas são definidas de acordo com fatores individuais como: estadiamento da doença, idade e condições clínicas do paciente e riscos/benefícios de cada modalidade.

A atuação do fisioterapeuta nos pacientes portadores de neoplasia de próstata é de fundamental importância, visto que algumas disfunções podem se manifestar nessa população, como por exemplo: incontinência urinária, disfunção erétil, fadiga e dor oncológica. O fisioterapeuta pode atuar prevenindo e/ou minimizando essas complicações.

Dentre os benefícios do tratamento fisioterapêutico nesta população, podemos citar uma importante melhora na qualidade de vida dos pacientes, uma vez que o acompanhamento do fisioterapeuta pode minimizar complicações limitantes para a vida do paciente.

por Dra Carla Laurienzo

Tratamento fisioterapêutico no câncer de próstata